NASCA: SUPERSIMETRIA

por Johnny Wazagoo postado

O som é em sua totalidade brasileiríssimo, mas não se parece nenhum outro. É original e carregado de referências regionais e globais. Mensagens capciosas, estórias inteligentemente colocadas, acompanhadas por rítmicas envolventes e arrebatadoras. E, para dar tão certo, uma sensibilidade absurda pra organizar tudo isso, assim, de forma magistral! Prepare-se para conhecer o universo sonoro de Nasca!

Nasca, aquele cabra do Saravah Soul, lança seu primeiro disco solo, o convincente "Supersimetria". O projeto que foi viabilizado através de crowdfunding, abre as portas da mente (e do coração) de Otto Nascarella. Um disco que intimamente desmonta a bagagem deste cidadão do mundo adquirida ao longo de sua caminhada. Vivências pelas ondas do Funk e Afrobeat estão estampadas na sonoridade, mas o que sobressai são as heranças e saudades tupiniquins. Porém, pra ficar melhor, tais brasileirices nuncas são reveladas diretamente. Estão sempre influenciadas, repaginadas, maquiadas por aquele groove malemolente e moderno que foge das fronteiras da música brasileira. Linhas de baixo marcantes, solos inspiradíssimos, aliados a percussões e batidas quebradas e extasiantes.

O disco (que aqui toca no repeat desde o lançamento) escancara de vez o talento de Nasca para a coisa. "Onde Vai Dar?" relata a riqueza reluzente da diversidade, da complexidade das relações e da beleza de um povo. Caindo como uma luva, "Democracia E Seus Demônios" ressalta de forma brilhante a calamidade do nosso atual cenário político. Em "A Voz", o habilidoso Nasca constrói um poético e requintado beat-box apenas com sua(s) voz(es). Ouça "Corinthians Itaquera, Palmeiras Barrafunda" e sinta a sutileza do cotidiano paulistano. Como nos discos do Saravah Soul, temos também canções em inglês e português, como "Broken Promisses". Destaque também para a participação de Carlos Malta, em "Do Mississipi Ao São Francisco (Ou Pifunk Com Malta)". Levando o nome do disco, "Supersimetria" volta seu olhar para o Jazz, ou o Afro-Jazz, numa vibe entre Phil Cohran e Moacir Santos. Um trabalho completo, bem definido e, já adianto, atemporal! Para saber mais sobre o disco, sobre todos envolvidos no processo, acesse o site oficial - aproveite e compre o disco através de várias plataformas!



Dê o play, macaco!
Download | Site Oficial | Facebook

1. NASCA - Onde vai dar? (3:16)
2. NASCA - Do Mississipi ao São Francisco (ou Pifunk com Malta) (3:30)
3. NASCA - Democracia e seus demônios (5:50)
4. NASCA - A Voz (3:31)
5. NASCA - Santa Teresa (4:03)
6. NASCA - Corinthians - Itaquera Palmeiras - Barra Funda (6:36)
7. NASCA - Broken Promises (4:55)
8. NASCA - Supersimetria (5:33)
9. NASCA - Pano Branco (1:41)


1 comentários:

  1. Poxa amigos, muito contente em saber que este disco chegou pra vocês deste jeito. Espero que toque ainda muitos outros corações!

    Abração!

    ResponderExcluir

 
RECEBA NOSSAS ATUALIZAÇÕES POR EMAIL!

Inscreva seu email para receber nossas atualizações. Garantimos bom conteúdo e nenhum spam!

QUERO FAZER PARTE DO TIME!
Você escreve e quer publicar aqui suas resenhas sobre música? Faça parte do nosso time de colaboradores! Clique aqui para entrar em contato.
ENCONTROU ALGUM LINK QUEBRADO?
Clique aqui para nos informar sobre links quebrados ou qualquer erro ocorrido. Agradecemos e tentaremos corrigí-los o quanto antes.

FACEBOOK

Fique sempre atualizado

Queremos te manter informado! Inscreva aqui seu email e passe a receber automaticamente as nossas atualizações e novidades em sua caixa de entrada!